Comentários
Postagens

7 de dez de 2011

Compromisso e Amor ao Manto - #ObrigadoAngelim


A maioria das pessoas querem ter fama, status... No meio do futebol, que movimenta uma quantidade absurda de dinheiro, essa vaidade toda é mais comum. Antigamente os jogadores apareciam com a bola no pé, hoje aparecem com o gel no cabelo. As coisas na vida mudam demais, isso é inevitável, mas você mudar é uma opção unicamente sua.

É tão simples falar de Angelim quanto ele próprio é. Legítimo brasileiro e acima de tudo rubro-negro, teve que trabalhar duro, ainda criança, pra conquistar seu primeiro Manto Sagrado, mas bastou ser ele mesmo, bastou seu coração (que de aço não tem nada) pra conquistar a nação existente por trás daquelas cores. Ganhou muitos títulos e se imortalizou no Flamengo, mas não foi com a bola no pé (ou na cabeça) que ele conquistou isso tudo.

Angelim é o tipo de pessoa que dá gosto de conhecer, pois nos mostra que o ser humano ainda é capaz de enxergar e pregar os verdadeiros valores da vida. Ahh, se todos os nossos jogadores fossem como o Angelim! Comprometimento e raça dentro de campo é o mínimo que queremos, e isso ele sempre teve. Aliás, teve tanto compromisso com o Mais Querido que se escalou na reserva por ver um companheiro mais bem preparado no momento. E se o barrassem do jogo, tenho certeza que ele estaria na arquibancada jogando com a camisa número 12.


Responsabilidade. Angelim nunca faltou treinos, sempre se empenhava demais e não precisava inventar histórias pra esconder nada. Nunca deu um ponta-pé ou agrediu ninguém em campo. Sua única expulsão em 6 anos defendendo o Manto foi injusta, e seus socos eram no ardesferidos unicamente para comemorar gols. Isso separa Adrianos de Angelins, mas são coisas naturais quando existe amor e responsabilidade com o Clube de Regatas do Flamengo e com a Nação. 

Paulo Henrique, lateral esquerdo da seleção e ídolo no Mais Querido, assinava contrato em branco pra jogar aqui. Leandro, outro lateral de seleção e ídolo, já fez o mesmo durante uma renovação de contrato. E não só isso, ele defendeu apenas as nossas cores em seus 13 anos de carreira, exceto quando era chamado pra defender seu país. Angelim é um deles. Ter o Magro de Aço com o Manto foi como ter um pedaço daquela geração de 1980 ainda viva nos gramados. Identificação, puro rubro-negrismo, raça... E o talento com a bola, dribles e gols são secundários quando se enverga o Manto com tanta dedicação.

O Flamengo sempre formou muitos ídolos. Alguns, vindos de outros clubes, se identificaram com o Manto e conquistaram facilmente a Nação, como: Leônidas, Evaristo, Raul, Petkovic, Ronaldo... Sim, o Fenômeno da Nação tem mais poços cavados do que gols feitos. Um simples grande rubro-negro que trabalhava pesado no nordeste desde criança, mas que só foi correr riscos de verdade e ter cicatrizes pelo corpo depois que passou a nos defender em campo. Ele quase perdeu uma perna, mas com raça e fé superou tudo e voltou pra nos dar uma das maiores alegrias das nossas vidas. Sim, além de tudo ele nos deu o Hexa após 17 anos de espera. Angelim me marcou como rubro-negro, e também como ser humano.


Obs.: Ainda sobre o Angelim, indico o belíssimo post da Vivi Mariano no Magia Rubro Negra. Clique aqui.

Saudações Rubro-Negras

******************** 
Renato Croce (Alexi Lalas) 

Compartilhe isto com a Nação
"Eu queria ser um poeta para poder te explicar,
mas não consigo traduzir o sentimento de amor que a gente tem pelo Flamengo."

---Outros posts do FlaManolos---
8 comentários rubro-negros pelo Blogger
comentários rubro-negros pelo Facebook

8 comentários:

  1. Homenagem muito merecida...
    É emocionante ler algo sobre esse exemplo de jogador, pessoa e acima de tudo rubro-negro.
    Tornou-se um verdadeiro ídolo da Nação. ;)
    Parabéns por mais uma belissima publicação.

    #SRN

    @rosaliamariaa

    ResponderExcluir
  2. Post muitíssimo oportuno, meu camarada. Pra variar...
    O Magro de Aço merecerá ser sempre lembrado com todo carinho pela Nação. Infelizmente há que já tenha esquecido de todo o histórico de entrega e humildade dele sob as cores do Mais Amado. É atualmente o último remanescente daqueles que vestem esta camisa com a alma.
    Todo respeito do mundo a esse paulista de nascença, nordestino de sangue e carioca rubro-negro de coração.
    E aos que ficam: é assim, como ele, que se deve vestir o Manto Sagrado.

    Verdadeiras Saudações Rubro-Negras.

    ResponderExcluir
  3. Angelim meu maior idolo no flamengo !

    ResponderExcluir
  4. Obrigado não pelo título de 2009, isso foi um marco, porém obrigado por ser Flamenguista e Fortaleza acima de tudo!

    SRN.

    www.ConfionoMengao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Angelim foi um exemplo de profissional do futebol, infelizmente tão raro nos dias atuais. Junto com nosso eterno capitão Fabio Luciano formou a melhor dupla de zaga que já vi no Mengão! Lembro daquela partida semi-final contra os vices que o Capitão e o Angelim marcaram os gols da classificação após o Bruno pegar penalti de Edmundo. E nosso Magro de Aço, após quase ter a perna amputada, marca nosso gol do Hexa. Eu falava com todos: "Ninguem nesse time merecia mais o gol do titulo do que o Angelim". O verdadeiro Ronaldo do Mengão! Obrigado Ronaldo Angelim, grande camisa 4 do Mengão!!!!

    ResponderExcluir
  6. "E aos que ficam: é assim, como ele, que se deve vestir o Manto Sagrado."
    Isso aí, Flávio!

    Cláudio, verdade! Ninguém merecia mais que ele alí. Talvez o Pet...

    E só pra ressaltar, citei o Adriano, mas ele é ídolo pra muita gente. Gosto muito dele e queria ele de volta, mas convenhamos que, pra Nação, gols não são suficientes pra status de ídolo. Tem que ter muito respeito e amor ao Manto. Adriano errou muito com suas indisciplinas.

    Obrigado a todos pelos comentários!

    ResponderExcluir
  7. Grande Ronaldo Angelim profissional exemplar nos tempos de mercenários e sanguessugas.Mereceria por parte da diretoria uma homenagem mais significativa.Temos certeza que toda a Nação RN te agradece.

    ResponderExcluir

 
Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.