Comentários
Postagens

17 de jun de 2012

Somos todos otários?


Estamos acostumados a conquistar tudo na raça, com muita dificuldade e luta. Nem mesmo o nosso mundial foi fácil, pois foi necessário derramar muito suor e até sangue pelo caminho. Com nossos Brasileiros foi a mesma coisa, tanto que até hoje querem nos tomar o Tetra, na qual tanto nos orgulhamos. O torcedor sabe bem disso, mas o que este Flamengo está fazendo com a gente, diariamente, é nos chamar de otários. Uma coisa é enfrentar as dificuldades, outra coisa é enfrentar o desrespeito.

Queria listar aqui todas as vezes que esta gestão desrespeitou a gente, apenas neste ano, mas não sei por onde começar. Alguém lembra de todas? Duvido. Foram muitas, dentro de campo e fora, com palavras, atitudes ou com a falta de ambas. E os "otários", que saem do conforto de suas casas e pagam ingresso caro pra ver o bando do Joel em campo, ainda são criticados. Não importa a quantidade, se são 6 ou 60 mil, são rubro-negros. E se pagam o ingresso é porque querem ver o Mengo. Ninguém paga caro e vai pra porcaria de um estádio pelo prazer de vaiar. Particularmente não concordo com as vaias nos 90 minutos e muito menos antes de um pênalti, mas são apenas vaias, não são tiros. Que porra de frescura é essa, que chegou ao ponto de bater perninha na frente do microfone? Acho que eles não têm noção do que a Nação é obrigada a engolir, tirando a dificuldade que é, simplesmente, ir no estádio, comprar o ingresso e tantos outros custos.

O caso de hoje do Renato Abreu não é o primeiro e infelizmente não será o último no Flamengo. Aliás, ele não é o único deste Flamengo, e não me refiro apenas ao Léo Moura. Jogador nenhum tem condições de chamar ninguém da torcida de otário ou qualquer outro ato desrespeitoso. Nunes, Zico, Junior e tantos outros ídolos foram muito vaiados e jamais fizeram isso. E sabem por quê? São humildes, respeitam a torcida e sabem reconhecer seus próprios erros e os erros da equipe. O torcedor não é obrigado a fazer boa leitura do jogo, ele apenas quer ver o Flamengo em campo. É pedir muito?

Hoje a torcida assistiu mais um jogo ruim, sofrido, desta vez contra o time C do Santos, que dispensa qualquer análise. E isso porque nosso técnico disse, no início do campeonato, depois de ter 20 dias pra treinar, que estaríamos perfeitos na quinta rodada. Durante este caminho, outros amadorismos partiram da diretoria e do time. O próprio Renato Abreu disse que jogamos mal contra a Ponte Preta por causa do gramado. Quem ele queria enganar? Se o líder do time não vem a público dizer o que está acontecendo com transparência e bom senso, quem vai? Gosto do Renato Abreu pelo que ele já fez pelo clube, mas está longe de ser meu ídolo. E em respeito ao que ele já fez (não é muita coisa, mas também não é pouca), digo que é melhor ele calar a boca. Aliás, seria melhor ele pedir pra sair. Ganha muito, é intocável (ninguém sabe o motivo) e se limita a chutes de longa distância e toques pro lado. Muito pouco pra quem chama a torcida de otária.


Avaliação: Veja para quem foi o #Tijolinho #Tijolada do jogo.  


#QueremosONossoFlamengo

********************
Renato Croce (Alexi Lalas)

Compartilhe isto com a Nação
"Eu queria ser um poeta para poder te explicar,
mas não consigo traduzir o sentimento de amor que a gente tem pelo Flamengo."

---Outros posts do FlaManolos---
11 comentários rubro-negros pelo Blogger
comentários rubro-negros pelo Facebook

11 comentários:

  1. Otários os que se conformam com jogadores e futebol medíocre que nos é apresentado. Mais otário ainda aquele que desvaloriza o que é a coisa mais valiosa do clube, a torcida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É querida, podemos até sermos otárias, mas eu não admito que me chamem desse jeito e por esse motivo. Devem limpar a boca pra falar da torcida, isso sim. Rum... Bjão :*

      Excluir
  2. Pois é... Antes de abrirem a boca pra chamar a torcida de otária, deviam fazer por onde não levar as vaias e isso só é possível se jogarem o suficiente pra honrar o manto que vestem que é tão valioso quanto a boca suja de quem fala da torcida. Enfim, sou totalmente contra a essa galera que fala mal da torcida, porque essa sim honra o manto que veste, o que a maioria que fala não faz. #SRN

    ResponderExcluir
  3. É um babaca no meio de um mar de babacas.
    Mas como exigir respeito e coerência de alguém que trabalha num lugar onde todo mundo faz o que quer?
    Quero ver só a piadinha de amanhã... mas não falo da imprensa matinal, dos jornais de segunda... falo da que farão após a presidenta se pronunciar sobre o fato... ou ignorá-lo.
    Antes disso o babaca Abreu irá dizer que foi mal interpretado por nós, otários...

    Verdadeiras Saudações Rubro-Negras.

    ResponderExcluir
  4. Otário é quem vaiou. Otário é quem pediu ele de volta. Otário é quem achou que ele seria o de 2007, como achou que Ronaldinho seria o do Barcelona. Otário é quem não vai a Patricia Amorim e vaia o jogador. Otário são as organizadas, eternamente caladas, perante a Patricia "omissa Amadorim".

    ResponderExcluir
  5. Lamentável. Tudo o que vem acontecendo no Flamengo é lamentável.

    Mas sobre o Renato, acho que ele se dirigiu às TO's que ganham ingresso e não apóiam o time. Vaiar é um direito, lógico. Nobre direito. Principalmente dos que PAGAM para ver seu time jogar.

    Mas não acho que seja o momento de vaiar ninguém que esteja em campo. Diante de toda essa nebulosidade, devíamos seguir o exemplo da torcida irlandesa: a Espanha meteu 4x0 na Irlanda e não se ouviu uma vaia da torcida verde. Seriam eles otários?

    "Pelo contrário. Cada mísero desarme, cada chutão para o ataque, cada lateral roubado do adversário... Tudo virou motivação para a massa verde que invadiu a cidade para o confronto contra a campeã mundial. Uma verdadeira aula de torcida reconhecida mundialmente - e por quem estava desfrutando de toda a atmosfera.

    – Tivemos um apoio incrível e não podemos dar nem mesmo um gol para eles celebrarem (contra a Espanha). Você sente o orgulho de ser irlandês quando vê o apoio que eles nos deram – disse o goleiro Shay Given."

    O momento do Flamengo sugere amor incondicional. E um basta nos ingressos gratuitos.

    Já seria um bom começo.

    Não vou falar de Joel, PA, etc. O assunto agora é sobre outros otários...

    SRN

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiar o tempo todo, só se você sabe que não há mais nada a fazer que isso. Não é o caso do Flamengo. Apoiar o tempo todo, só se a equipe é limitada mesmo e não há saída, por conta de contratações ou escalação. Não é o caso do Flamengo. Apoiar o tempo todo, só se todos sabem que a gestação está fazendo realmente o máximo possível. Não é o caso do Flamengo. Apoiar o tempo todo, só se você está mais pra festeiro que pra torcedor. Eu sou torcedor. Torço pra que meu time vença, conquiste.
      Sinceramente, com a nossa limitada noção moral, apoiar o tempo inteiro é acomodar o time. Vejo a torcida do gaymio, que com a equipe perdendo ou ganhando fica o tempo todo naquela "festa hermana" sem qualquer lógica... E o time deles -com salário em dia e tudo- vive com o botão do 'foda-se' ligado. Não ganham mais nada.
      Incondicionalidade é coisa íntima. Perdendo ou ganhando, sou Flamengo, o clube. Agora, apoiar esses intocáveis só porquê estão vestindo momentaneamente o manto de qualquer forma? Aí não...
      Se tem quem deva torcer de forma incondicional, são as organizadas. Que recebem apoio e são coniventes com a direção do clube. São ainda convenientes...

      Verdadeiras Saudações Rubro-Negras.

      Excluir
    2. É, Flávio P. Reis, concordo contigo. A gestação (sic) está fazendo realmente o máximo possível.

      Talvez por isso o Joel tenha pedido mais prazo. É isso! Serão 9 meses!!!

      Excluir
  6. Entendi o que o Flávio quis dizer. Sinceramente acho que temos que apoiar enquanto a bola rolar, enquanto for possível a vitória. Mas também não podemos deixar de cobrar um Mengo melhor. No final do ano passado, surgiu o Unidos Pelo Flamengo com o objetivo de levar o torcedor pros estádios em razão do momento "não tem ele, vai tu mesmo". Vamos na raça, nas palmas e na força da torcida. Agora é diferente. Neste momento podemos mudar, podemos melhorar. Então, devemos cobrar.

    SRN

    ResponderExcluir
  7. Boa noite. Só deixando um pequeno comentário. O Joel tem de mudar o time para uma formação mais ofensiva. Eu apostaria em Bottinelli no lugar do Renato que não vem bem faz tempo. Mesmo irregular, Botti tenta passes verticais que nenhum dos volantes titulares tenta(com exceção do Luiz Antonio). O passe do gol saiu de um passe dele.

    Quanto as vaias, O torcedor tem todo o direito de vaiar sim, mas prefiro que apoiem durante o jogo e guardem as vaias para o intervalo e para o fim da partida.

    SRN.

    ResponderExcluir

 
Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.