Comentários
Postagens

14 de nov de 2011

Heróis do Mundial - Junior

                                                      Clique aqui pra acompanhar toda a série Heróis do Mundial

O homenageado da vez na série Heróis do Mundial é o maior lateral esquerdo da história do Mengão, Junior! Habilidade e espírito de liderança jamais faltaram a esse craque, que começou no Mengão em 1974 e encerrou sua carreira em 1993, aos 39 anos.

Nascido em João Pessoa (PB), a história de Junior no Mengão começa com o paraguaio Modesto Bria. Nosso eterno Maestro jogava algumas peladas na Praia de Copacabana, e Bria assistindo a uma dessas peladas convidou o ambidestro Junior para fazer testes entre os jovens rubro-negros. Em questão de tempo o Capacete foi chamado para jogar pelos profissionais, inicialmente como lateral direito.

Dono de grande visão de jogo, passes precisos, além de ser um ótimo cobrador de faltas e escanteios, Junior atuou nas duas laterais e no meio de campo. Foi com o técnico Claudio Coutinho que Junior passou a atuar improvisado na lateral esquerda. E o improviso ficou tão bom que assumiu de vez a posição, usando a camisa 5 do Mengão.


Junior é um exemplo de que o ser humano pode evoluir na vida, pois na infância era tricolor por herança familiar, mas foi ficando mais velho e acompanhando amigos flamenguistas nos jogos do Mengão, até que um dia disse em casa: "Ó, não vou ver mais jogos do Fluminense não!". A identificação com o clube foi crescendo cada vez mais, e quando já era jogador foi o Capacete quem criou a expressão "segunda pele" para o Manto Sagrado! Em uma entrevista Junior disse: "Eu sofria mais (em campo), porque estava jogando e torcia ao mesmo tempo".

Junior é o recordista de partidas com o Manto Sagrado, 857 jogos, dados da  Flapédia. Marcou 77 gols. Foi Campeão Carioca em 1974/78/79/79 especial e 1981, Campeão Brasileiro de 1980/82/83, Campeão da Copa Libertadores e Mundial em 1981. Junior fez também 74 jogos pela Seleção Brasileira, disputando as Copas do Mundo de 1982 e 1986.

Deixou a Gávea em 1984, para conquistar sua independência financeira, indo jogar no Torino e Pescara, ambos na Itália. A saudade do Mengão fez com que retornasse em 1989, e dessa vez como comandante da equipe. Ou melhor, como Maestro. Liderou a equipe ma conquista da Copa do Brasil em 1990, no Carioca de 1991, e na conquista do Penta em 1992. Após se aposentar, chegou a assumir o Mengão como técnico em duas ocasiões, além de também ter sido diretor técnico.

Veja essa reportagem sobre o Penta

 Junior é um dos Heróis do Mengão!

Saudações Rubro-Negras   

******************** 
Rafael de Oliveira
Twitter - Facebook

Imagem 1: FlaManolos
Imagem 2 e 3: Google com adaptação de FlaManolos

Compartilhe isto com a Nação
"Eu queria ser um poeta para poder te explicar,
mas não consigo traduzir o sentimento de amor que a gente tem pelo Flamengo."

---Outros posts do FlaManolos---
4 comentários rubro-negros pelo Blogger
comentários rubro-negros pelo Facebook

4 comentários:

  1. O melhor lateral-esquerdo da história do futebol! Valeu "Léo".

    "A camisa do Flamengo é minha segunda pele"

    ResponderExcluir
  2. Um grande ser humano, acima de tudo.
    Profissional, inteligente, carismático, humilde... Se o Zico é nosso rei, o Júnior é nosso primeiro ministro. Além de maestro, claro.
    Gosto do Capacete tanto quanto do Galinho.
    Mais um que tive o prazer de conhecer pessoalmente e de conseguir um autógrafo no meu Manto.
    O último remanescente dos atletas que tinham vínculo extra-profissional com o Flamengo.
    Como você faz falta, Maestro...

    Verdadeiras Saudações Rubro-Negras!

    ResponderExcluir
  3. Pessoa sensacional, jogador sensacional.. Como o Flavio disse, compromisso extra-profissional com o Mais Querido. Isso é ser ídolo do Flamengo!

    ResponderExcluir
  4. Como um Maestro tipo o Júnior faz falta nesse time de hoje do Mengão...
    Que o R10 assista a uns DVDs do Capacete e se inspire nessa reta final rumo ao Hepta!
    SRN!

    ResponderExcluir

 
Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.